Anais do Seminário PIBID UESB/Campus de Itapetinga - ISSN 2526-9275, Vol. 1, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

O PIBID NA FORMAÇÃO E PRÁTICA DOCENTE: a sequência didática como estratégia de intervenção

Clélia Silva Oliveira, Ennia Débora Passos Braga Pires Braga Pires

Resumo


O presente relato tem por objetivo evidenciar a contribuição do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência) para a formação dos bolsistas do subprojeto de Pedagogia inseridos em uma escola de ensino fundamental I que atende alunos do 1º ao 5º ano. Ressalta a importância do programa para formação inicial dos discentes de Pedagogia possibilitando a relação entre teoria e prática e o desenvolvimento de sequências didáticas como possibilidades de intervenções pedagógicas. As experiências que serão relatadas são originárias de intervenções pedagógicas no desenvolvimento de uma sequência didática com o tema Folclore, desenvolvida no período de julho a agosto de 2016, em uma turma do 5º ano. O primeiro contato dos novos bolsistas com a escola se deu meio da observação para diagnosticar as dificuldades e as reais possibilidades de uma intervenção que favorecesse a aprendizagem dos alunos. Percebeu em meio às observações e conversas com as professoras regentes a dificuldade de leitura e escrita na maioria dos alunos. Essas constatações orientaram o planejamento da sequência didática sobre o Folclore com uma metodologia que privilegiasse o trabalho pedagógico com lendas, cantigas de rodas, parlendas, adivinhas, brinquedos e brincadeiras, provérbios, frases de para-choques de caminhão, trava-línguas e receitas com intuito de evidenciar a importância e a riqueza cultural do folclore de maneira lúdica e prazerosa. No desenvolvimento da sequência didática elaborada para a turma do 5º ano, cada semana uma manifestação folclórica era trabalhada pro meio de atividades individuais e grupais variadas, tais como: painéis, cartazes, dinâmicas, mini-gincanas, apresentação de vídeos, confecção de brinquedos com material reciclado e confecção de um livro de receita da turma. Para finalizar o projeto, os alunos receberam corrigidas todas as atividades desenvolvidas no decorrer o projeto. Alguns dos alunos escolheram uma das manifestações que viram em sala e apresentaram nas outras salas de aulas da escola. Sendo assim, a experiência na turma de 5º ano estava dimensionada na busca do desenvolvimento da oralidade, leitura e escrita. Esse projeto possibilitou aprendizagens significativas tanto para os alunos que desenvolveram atividades belíssimas, enfatizando a leitura e a escrita. E para a futura docente em processo de formação, possibilitou associar as teorias discutidas no curso e as práticas vivenciadas na escola. Essas atividades evidenciaram os desafios da atividade docente em buscar a participação e o envolvimento dos alunos nas atividades. Para os bolsistas do PIBID, as vivências oportunizadas por meio dos projetos desenvolvidos em sala de aula e a reflexão sobre as práticas representam um processo formativo do ser professor, pois essas experiências os colocam na posição de ensinar e aprender o que ensina. Assim, o PIBID como política de formação docente aproxima os futuros educadores da realidade da escola viabilizando um processo de formação, investigação e pesquisa.

Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.