Anais do Seminário PIBID UESB/Campus de Itapetinga - ISSN 2526-9275, Vol. 1, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

PRIMEIRAS IMPRESSÕES DE UMA BOLSISTA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

Sara Viana Rocha, Lígia Brito Santos, Moana Ferreira dos Santos, Ennia Débora Passos Braga Pires

Resumo


O trabalho pretende relatar minhas primeiras impressões como bolsista de Iniciação à Docência do PIBID, durante o segundo semestre de 2016, no Centro Educacional Ismael Cruz Lima; bem como, destacar observações sobre o espaço escolar, a prática pedagógica exercida e impressões relacionadas aos alunos em suas interações no ambiente escolar. A busca por aperfeiçoamento da prática docente, a compreensão mais ampla do fazer docente, como também, a ressignificação das aprendizagens adquiridas ao longo do curso de Pedagogia foram as motivações para o ingresso no PIBID. A escola Ismael Cruz Lima fica em um bairro periférico da cidade de Itapetinga e atende crianças do próprio bairro e de outros circunvizinhos. É uma instituição escolar grande em relação a outras do mesmo nível da cidade, atendendo, assim, a um grande número de crianças. O sentimento de recepção que tive em relação aos alunos foi bastante positivo, claro que cada um ao seu modo refletia as suas próprias vivências, uns alunos mais carinhosos, outros, nem tanto, mas respeitosos. Os meus estudos anteriores como bolsista de Iniciação Científica na temática: Escola violência e direitos humanos me fizeram adentrar no espaço escolar com um olhar cuidadoso em relação a essa problemática. Assim, constatei muitos alunos repetentes, alguns em estado de vulnerabilidade, pareciam não ter regras e se mostravam, algumas vezes, grosseiros e não se importavam com o que lhes eram solicitados. Todavia, destaco que a maioria dos alunos sempre se mostrou participante das aulas e das atividades propostas. Tratamos através de sequências didáticas de diversos temas: alimentação saudável, construção da cidadania na infância e a consciência negra.  Uma experiência marcante ocorreu no dia da consciência negra quando pude apresentar aos alunos da Escola Ismael um projeto de capoeira desenvolvido no Programa “Mais Educação”, em outra escola, onde tive a oportunidade de atuar como monitora. Os alunos do Programa “Mais Educação” fizeram apresentações de capoeira e de maculelê para os alunos participantes do PIBID, através do intercâmbio entre escolas foi trabalhada a importância da cultura negra. Durante toda a sequência didática foram desenvolvidas atividades com o objetivo de que os alunos conhecessem melhor e valorizassem a cultura da qual somos descendentes e que é pouco reconhecida por eles quando não, discriminada. A sequência didática sobre alimentação enfatizou a importância da aquisição de hábitos alimentares saudáveis e o conhecimento do valor dos nutrientes, vitaminas, proteínas encontradas nos alimentos. O trabalho com a temática da cidadania na infância foi desenvolvido com o objetivo de que os alunos compreendessem o sentido de cidadania, o que é ser cidadão e se reconhecessem como tais. Para tanto, foram desenvolvidas atividades interdisciplinares sobre direitos e deveres da criança conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente. Destaco, por fim, que as experiências vivenciadas nesses meses de atuação no PIBID foram muito enriquecedoras, possibilitando uma ressignificação das aprendizagens adquiridas na universidade e oferecendo uma visão muito mais consistente e contextualizada da docência.

 

Palavras-chave: Docência. Ensino. Iniciação à  docência.


Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.