Anais do Seminário PIBID UESB/Campus de Itapetinga - ISSN 2526-9275, Vol. 1, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

EXPLORANDO O LIVRO DIDÁTICO E DECIFRANDO O CÓDIGO GENÉTICO

Maríllia Botelho da Silva Bomfim, Ianara Trindade Damasceno, Adriane Oliveira Sousa, Nádia Amorim Pereira, Obertal da Silva Almeida

Resumo


O presente trabalho retrata uma atividade lúdica de simulação da tradução da síntese proteica presente no Livro Didático (LD), aplicada com duas turmas do 2° ano (A e B) do ensino médio do turno vespertino do Colégio Modelo Luís Eduardo
Magalhães do munícipio de Itapetinga-BA. O objetivo foi de revisar o conteúdo teórico da tradução de síntese proteica e estimular habilidades como trabalho em grupo. Por meio da reprodução de um molde proposto no LD à professora
supervisora e os bolsistas de iniciação à docência (ID) do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID) do subprojeto de Biologia, apresentaram a atividade e dividiram a turma em 5 grupos. Cada bolsista de ID orientou um grupo
durante o desenvolvimento da atividade, e dessa forma cada grupo utilizando o molde reproduzido do LD das estruturas envolvidas no processo da síntese proteica (RNA mensageiro, RNAs transportadores, RNA ribossômico, aminoácidos, RNA polimerase, códon de parada e fator de desligamento) realizava a simulação da etapa de tradução no processo da síntese proteica. Os bolsistas orientaram os alunos a reproduzir cada passo da tradução, discutindo com eles a função de cada estrutura e as consequências de possíveis erros, quais os tipos ligações entre os nucleotídeos e assim, relembrando os conteúdos estudados na aula teórica. A atividade permitiu uma maior interação entre o educando e o LD, isso por conter atividades lúdicas que reforçam a aprendizagem. A simulação da tradução do processo de síntese proteica permitiu uma interação prática com o conteúdo abordado em sala de aula, onde de forma lúdica foi revisado todo o processo que envolve a produção de proteínas. O estimulo pela busca em decifrar o código genético partiu do individual para o coletivo, ou seja, a atividade em grupo permitiu a construção da atividade, por meio da aprendizagem colaborativa. Dessa forma foi possível perceber que a proposta da atividade foi atendida, visto que o grupo conseguiu expor a simulação da síntese proteica para a professora regente, onde avaliou a compreensão dos alunos ao conteúdo. Portanto houve uma motivação no aprendizado e proporcionou um maior contato com LD, que além de longos textos que abordam as teorias dos conteúdos, há atividades com caráter lúdico em seus capítulos que podem ser aplicadas, sendo uma importante ferramenta pedagógica para o ensino e aprendizagem.

Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.