COLÓQUIO BAIANO TEMPOS, ESPAÇOS E REPRESENTAÇÕES: ABORDAGENS GEOGRÁFICAS E HISTÓRICAS --- ISSN 2359-1218, Vol. 1, No 1 (2013)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

VELHICE, PLANIFICAÇÃO TERRITORIAL E POLÍTICAS PÚBLICAS EM VITÓRIA DA CONQUISTA

Irlandia Maria Serra Negra Coelho Rocha

Resumo


Há uma década, desenvolvendo ações educativas na Extensão da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB junto a  idosos(as) de diversos níveis de escolaridade, algumas internas em Instituição Asilar, outras, plenas em sua autonomia, sendo 99% do sexo feminino, despertou-me o interesse de investigar na cidade de Vitória da Conquista, 3ª cidade do estado da Bahia com significativa população e desenvolvimento sócio/economico/cultural, quais as condições urbanas existentes de acessibilidade, buscando identificar se essa cidade oferece condições físicas para uma população que envelhece.Pensando num caminho, como sugere Morin, foram adotados procedimentos metodológicos quantitativos e qualitativos, como aplicação de questionário, entrevistas, consulta aos Planos Diretores Urbanos e registros fotográficos, na construção do presente estudo. Para balizar o mesmo foram observados os trabalhos sobre velhice de Beauvoir,  Debert,Passinato, Barros e Motta; com relação a planificação territorial e acessibilidade, além dos Planos Diretores Urbanos, recorremos aos estudos de Milton Santos, Tello Robira, o Guia Global – Cidade Amiga do Idoso de Kalache e o Projeto Cidade Amiga do Idoso da cidade de Barcelona-ES. O resultado da análise dos dados e da documentação sugere que a cidade não está preparada para o envelhecimento de sua população, oferece condições reduzidas de acessibilidade aos  espaços físicos e sociais, necessita de melhor planificação e que  há    necessidade da “instituição velhice” ser melhor conhecida e de ser vista não apenas pelas condições biológicas, mas na perspectiva social dos direitos humanos.Palavras-chave: Acessibilidade, Planificação territorial, Velhice.

Texto Completo: PDF