COLÓQUIO BAIANO TEMPOS, ESPAÇOS E REPRESENTAÇÕES: ABORDAGENS GEOGRÁFICAS E HISTÓRICAS --- ISSN 2359-1218, Vol. 1, No 1 (2013)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A NOVA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL DO CARNAVAL DE MARAGOGIPE APÓS O REGISTRO COMO PATRIMÔNIO IMATERIAL DA BAHIA

Erick Gomes Conceição, Janio Roque Barros de Castro

Resumo


O carnaval no Brasil teve seu início com o entrudo, que eram brincadeiras violentas em que o cenário festivo se assemelhava a uma guerra de água, urina, limão, farinha e afins. Este tipo de festividade foi proibido e as diferentes regiões foram incorporando costumes específicos nos jeitos de brincar, como por exemplo, no Rio de Janeiro tem-se o carnaval das escolas de samba e o carnaval popular de rua. Em Salvador observa-se a presença dos trios elétricos e em Recife e Olinda, nota-se que o carnaval se caracteriza pelo frevo. Os carnavais se enquadram na categoria de patrimônio imaterial, por serem uma celebração festiva. Categoria esta que não teve atenção nos últimos tempos, pois as políticas públicas só se direcionavam para a categoria material. Com o intuito de valorização e identificação das manifestações culturais, o IPHAN3 cria o instituto de registro de bens culturais sendo regido pelo Decreto 3.551/2000.O carnaval de Maragogipe foi registrado como patrimônio imaterial da Bahia no ano de 2009 por sua peculiaridade na forma de realização, pois diferentemente da capital soteropolitana o carnaval da referida cidade se caracteriza pela presença de mascarados e marchinhas de carnavais antigos. Diante disso, este trabalho tem o objetivo de identificar a contribuição desse registro para a modificação na espacialidade da festa. Para melhor obter resultados, alguns caminhos metodológicos foram adotados. A leitura de autores clássicos e contemporâneos como Gonçalves (2003), Maia (1999), Hasbaert (2012), Sebe (1986), Hall (2006), entre outros. Na etapa de campo foi feito entrevistas com seis moradores locais, o critério de escolha foi à importância histórica que os mesmos detêm para a festividade e participantes ativos. Como a pesquisa é qualitativa não foi necessário um número amostral grande. A observação da festividade foi muito importante, pois foi possível observar a dinâmica que a mesma detém e foi possível construir um acervo fotográfico, que enriqueceram a discussão. Observou-se que o registro do carnaval como patrimônio imaterial da Bahia, ocasionou modificações estruturais para a festa. A instalação de barracas de bebidas e alimentos, palcos para shows e coretos para bandas tradicionais, ocasionou um processo de reconfiguração espacial da festa. O carnaval de Maragogipe está se realizando cada vez mais nas áreas centrais da cidade para atender as necessidades do capital.Palavras-Chave: Carnaval. Patrimônio Imaterial. Consumo. Centralidade.

Texto Completo: PDF