COLÓQUIO BAIANO TEMPOS, ESPAÇOS E REPRESENTAÇÕES: ABORDAGENS GEOGRÁFICAS E HISTÓRICAS --- ISSN 2359-1218, Vol. 1, No 1 (2013)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

TEMPO, MEMÓRIA E REPRESENTAÇÃO NA OBRA DE DIAS GOMES (1968)

Izis Guimarães Mueller, Maria Aparecida Silva de Sousa

Resumo


Com essa comunicação proponho partilhar algumas reflexões acerca da tragédia “Dr Getúlio, sua vida e sua glória”, escrita por Dias Gomes em 1968, enquanto espaço de encontro de duas temporalidades: o tempo/espaço da narrativa (o passado nacional, a Era Vargas) e o tempo/espaço da escrita (o ano de 1968 e o contexto da Ditadura Militar, tempo presente onde o escritor recupera o passado nacional). Apresentam-se, assim, os “quadros de memória” nos quais o escritor e militante filiado ao Partido Comunista do Brasil (PCB), Dias Gomes, estava imerso no momento da escrita e que condicionaram o caráter e o sentido que sua narrativa atribui às ações de governo de Getúlio Vargas. A concepção, escrita e publicação desta obra revelam o passado se fazendo presente, fomentando a compreensão da conjuntura nacional. Neste texto Gomes reorganizou eventos do passado político nacional, construindo uma critica à política do Estado Militarizado no Brasil ao mesmo tempo em que expressou uma memória partilhada pelos intelectuais nas décadas de 1960 e 1970.Palavras-chave: Dias Gomes; Memória; História

Texto Completo: PDF