COLÓQUIO BAIANO TEMPOS, ESPAÇOS E REPRESENTAÇÕES: ABORDAGENS GEOGRÁFICAS E HISTÓRICAS --- ISSN 2359-1218, Vol. 1, No 1 (2013)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

FORMAÇÃO TERRITORIAL DA COLÔNIA E EXPANSÃO DO MERCADO INTERNO: O PAPEL DA VILA DE CACHOEIRA BAHIA (1700-1750).

Romilda Almeida de Sena

Resumo


A descoberta das jazidas de ouro no interior da colônia, a partir dos fins do século XVII, provocou um considerável crescimento e dinamização para a economia colonial, contribuindo para sua interiorização e, consequentemente, para a expansão territorial e a urbanização da colônia portuguesa na América. Nesse período, muitas vilas se tornaram grandes entrepostos comerciais; dentre estas, a vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira, criada em 1698, e que se destacou como entreposto comercial entre a zona litorânea representada pela cidade de Salvador e demais povoações situadas no recôncavo da Baía de Todos os Santos e as localidades situadas no sertão, notadamente, as vilas mineradoras do sertão. Por ela, passava não apenas toda a produção agrícola e pecuária que provinha do sertão e de outras localidades próximas tendo como destino a capital, Salvador, quanto os utensílios e escravos que, oriundos desse porto Atlântico dirigiam-se às zonas mineradoras. Por ela passavam, ainda, as tropas de gado vacum que, criadas nos sertões setentrionais da capitania da Bahia, destinavam-se a prover de carne verde as vilas mineradoras em situação de escassez endêmica de alimentos. É neste sentido que se torna necessário compreender o papel desempenhado pela Vila de Cachoeira no processo de formação do mercado interno e estruturação das redes de circulação da colônia na primeira metade do século XVIII. O estudo está sendo realizado tendo por base a bibliografia especializada e fontes primárias localizadas no Arquivo Regional da Cidade de Cachoeira (Bahia) e no Arquivo Histórico Ultramarino (Lisboa, Portugal), estas últimas disponíveis digitalmente por meio do Projeto Resgate. Ainda não foi possível realizar a sondagem dos livros de notas da vila de Cachoeira existentes no Arquivo Público da Bahia (em Salvador), uma vez que os mesmos encontram-se interditados devido ao seu estado de degradação. Até o presente momento, tem-se dado ênfase à análise qualitativa de tais documentos, não estando descartado seu tratamento quantitativo, sempre que a natureza da fonte assim o permitir. Apesar de estar o estudo em fase inicial, os dados até aqui analisados sugerem uma intensa movimentação comercial e de pessoas na vila de Cachoeira, confirmando a hipótese da sua importância social e econômica no contexto da expansão territorial e da criação de um mercado interno na colônia ao longo da primeira metade do século XVIII.Palavras-chave: História Econômica , Mercado Interno; Cachoeira – Bahia

Texto Completo: PDF