fólio - Revista de Letras, Vol. 9, No 2 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

O ESCRITOR E A BORBOLETA: LITERATURA, IMAGEM E PENSAMENTO EM A HORA DA ESTRELA, DE CLARICE LISPECTOR

Luiz Lopes

Resumo


O presente artigo efetua uma leitura do livro A hora da estrela (1977), da escritora brasileira Clarice Lispector, tendo como fio condutor da interpretação as relações entre literatura, imagem e pensamento. Para efetuar tal leitura partimos de um diálogo entre a literatura da autora e o pensamento do filósofo Georges Didi-Huberman, em especial, no que tange suas discussões sobre a imagem sobrevivente que atravessa todas as suas discussões sobre o campo das artes, da literatura e do pensamento filosófico. Além dessa perspectiva, que entrelaça literatura e imagem na produção derradeira de Clarice Lispector, interessa-nos pensar, ainda na esteira do pensamento do filósofo francês e em consonância com a escrita clariciana, o motivo da borboleta como imagem que produz um pensamento sobre a fragilidade do terreno bem como da afirmação dessa dimensão, inserindo assim A hora da estrela num grupo de textos que podemos conceituar como imanentes.


Texto Completo: PDF

 

 

 

Periódico indexado em:

Latindex   Directory of Open Access Journals   Sumários   Home    width=    ulrich's   rcaap_logo    rcaap_logo   Elektronische Zeitschriftenbibliothek   rcaap_logo   rcaap_logo    rcaap_logo   rcaap_logo   rcaap_logo    rcaap_logo    rcaap_logo         rcaap_logo     Directory of Research Journals Indexin   Home   home   Base   Home   Home

 

 

ISSN: 2176-4182                      revistafolio@gmail.com                      Qualis B1


  ppgcel                                      UESB                                              Edições Uesb                                         IBICT