Politeia: História e Sociedade, Vol. 15, No 1 (2015)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

“Retratos” de trovadores: a tradição galego-portuguesa

Maria Ana Ramos

Resumo


Os cancioneiros medievais - autênticos repertórios - podem caracterizar-se como “livros de poesia” que, em geral, são acompanhados pela notação musical, convertendo-se também em “livros de música” e “livros de canto”. O Cancioneiro da Ajuda, a mais antiga recolha de poesia trovadoresca galego-portuguesa, não nos transmitiu a transcrição neumática, apesar dos espaços que para ela estavam reservados. No entanto, testemunha-nos, através dos procedimentos decorativos, elementos fundamentais que ilustram a performance interpretativa das cantigas medievais, entre o trovador e seus intérpretes. Esta reflexão, servindo-se da tradição galo-românica, em particular dos cancioneiros provençais, procurará pôr em evidência a retratística dos trovadores. Se na tradição provençal, os principais manuscritos iluminados mostram-nos o trovador, quase sempre, como personalidade estática e solitária, no Cancioneiro da Ajuda, nota-se uma real mise en scène entre a imagem do poeta e seus intérpretes, masculinos e femininos, ligados à música, ao canto e à dança. O Cancioneiro da Ajuda faculta-nos através destas imagens uma verdadeira “chave de ouro” para a fruição da poesia medieval.


Texto Completo: PDF

ISSN: 1519-9339 (versão impressa)

ISSN: 2236-8094 (versão on line)