Práxis Educacional, Vol. 13, No 26 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A política de fechamento de escolas no campo na região metropolitana de Curitiba/PR

Camila Casteliano Pereira, Maria Antônia de Souza

Resumo


O objetivo deste texto é problematizar a política de fechamento de escolas localizadas no campo na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), estado do Paraná. Intenciona-se, ainda, destacar as políticas educacionais, em especial a do transporte escolar e a prática de nucleação de escolas, como determinantes para o processo do fechamento de escolas. As reflexões são oriundas de: estudo exploratório e análise documental, realizadas no período de março de 2015 a abril de 2017. Constata-se que o fechamento de escolas não é uma política isolada, é uma prática articulada a outras políticas voltadas a atender as necessidades forjadas pelo capitalismo agrário no campo. Como enfrentamento ao crescente fechamento de escolas localizadas no campo, torna-se necessária a democratização da escola pública, com o legítimo envolvimento da comunidade, como explícito nos princípios da Educação do Campo. A organização coletiva é outra frente que fortalece a luta pela escola em todas as dimensões que a forjam como “pública”, como efetivação de um direito dos trabalhadores. Outro elemento fundamental é se apropriar da intencionalidade dos projetos de campo defendidos e amparados pelo Estado, e trazer os debates econômicos, políticos e sociais para dentro da escola e vice-versa, pois a escola é determinada e pode ser determinantes das relações que se materializam na sociedade. A política de fechamento de escolas é mais um dos arranjos do capitalismo agrário que contribui para os processos de migração do campo para a cidade.

Palavras-chave: Educação do campo. Fechamento de escola pública. Política educacional.


Texto Completo: PDF