Revista Extensão e Cidadania, v. 3, n. 5, jan./jun. 2015

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Distribuição Espacial das ativdades de extensão na Bahia e suas relações com a formação e a produção científica

M. Lopes Roberto Paulo, Sá Vieira Débora

Resumo


O objetivo deste trabalho é analisar em que medida a desigualdade espacial das atividades científicas na Bahia influencia a distribuição geográfica das atividades de extensão no estado, dificultando a geração de externalidades e reforçando as desigualdades regionais existentes. O estudo tem como parâmetro o grau de concentração das atividades de ciência e tecnologia existente na microrregião de Salvador, comparativamente às demais microrregiões do estado, avaliando em que medida esta condição se reproduz nas atividades de extensão. O estudo utiliza a distribuição espacial da formação científica como proxy das atividades de ensino; a produção científica como proxy das atividades de pesquisa; e os projetos apoiados nos editais de articulação pesquisa-extensão da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB) como proxy das atividades de extensão. A base de dados é composta pelos relatórios de editais selecionados da FAPESB e pela ferramenta de dados georreferenciais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A hipótese específica deste estudo é que, mesmo que a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão ainda não seja levada em conta na prática de muitos docentes, as atividades de extensão refletem a concentração espacial das atividades de ensino e pesquisa. Os resultados mostram que há uma correlação entre concentração espacial das atividades de pesquisa e atividades de extensão.

Texto Completo: PDF

INDEXADORES: