Anais da Semana de Agronomia da UESB (SEAGRUS), Vol. 1, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

QUALIDADE FISIOLÓGICA DA SEMENTE DE SABIÁ (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE MATURAÇÃO

Welluma Teixeira Barros, Sávio de Oliveira Ribeiro, Arlete da Silva Bandeira, Otoniel Magalhães Morais

Resumo


O sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) é uma espécie nativa da caatinga. Apresenta rápido crescimento, alta capacidade de regeneração e resistência à seca. Pode ser usada em projetos paisagísticos  por suas características ornamentais e sua folhagem serve como alimento para gado nos períodos de seca. Cultivada para produção de madeira por sua alta resistência. O objetivo é determinar a qualidade fisiológica a partir dos testes que avaliam a germinação e o vigor das sementes de sabiá. Inicialmente os frutos foram submetidos à secagem e separados de acordo com o grau de maturação. Posteriormente, fez-se o beneficiamento com a abertura dos frutos, seleção e limpeza das sementes. Procederam-se os testes de qualidade de sementes como teor de umidade, condutividade elétrica e teste de germinação. Os dados foram submetidos à análise de variância e teste de média. As sementes apresentaram alto grau de dormência, indicando a necessidade de quebra de dormência para utilização das sementes. Nos três estágios, as porcentagens de sementes germinadas de sabiá apresentaram média de 6%, enquanto as sementes mortas 2% e dormentes 92%. Em relação aos diferentes graus de maturação não houve diferença significativa para as sementes normais. Para os dados da condutividade elétrica as sementes verdes apresentaram maior lixiviação de eletrólitos. Para os dados de teor de água houve diferença entre os diferentes estágios. As sementes verdes apresentaram baixo vigor e baixa qualidade fisiológica.

Texto Completo: PDF