Seminário Nacional e Seminário Internacional Políticas Públicas, Gestão e Práxis Educacional, No 6 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

ALFABETIZAR E LETRAR CRIANÇA COM AUTISMO POR MEIO DE COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA: ESTUDO DE CASO

Fabiana Almeida Moura, Crizeide Miranda Freire, Kátia Cristina Novaes Leite

Resumo


Este relato de experiência abrange as atividades que tenho desenvolvido na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), no período de cinco meses atuando como monitora de uma criança diagnosticada no Transtorno do Espectro Autista (TEA), através do projeto de extensão: Alfabetização e Letramento: construção individual e coletiva, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) em parceria com a referida associação. A criança frequenta a APAE duas vezes por semana para receber atendimento educacional especializado, em parceria com profissionais da saúde que atendem no Centro Especializado em Reabilitação CEER/APAE (Terapeuta Ocupacional, Fonoaudiólogo e Psicóloga – com especialidade em autismo). Mediante a necessidade que essa criança tem, faço uso da comunicação alternativa, baseada nas estratégias do uso de Picture Symbols Communication (PCS) e do método de intervenção comportamental Picture Exchange Communication System – Sistema de comunicação por meio de imagens (PECS), manifestando com as intervenções significativas melhoras no comportamento, sociabilização, participação e na aquisição de novos vocábulos, assim como, a melhor compreensão destas palavras quando são pronunciadas e escritas nas atividades. Como embasamento para compreensão dessa estratégia e para o desenvolvimento de um trabalho que favoreça o crescimento efetivo desse aluno nos aportamos nas discussões sobre o processo inclusivo, as abordagens acerca do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), além das concepções sobre Letramentos, tomando de empréstimo as falas de SHIRMER (2008.); SILVA (2014); PASSERINO (2010) entre outros.

Palavras-chave: Letramento. Autismo. Comunicação Alternativa.


Texto Completo: PDF