Seminário Nacional e Seminário Internacional Políticas Públicas, Gestão e Práxis Educacional, No 6 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A (RE) CONSTRUÇÃO DOS SABERES HISTÓRICOS NO ENSINO FUNDAMENTAL: DIÁLOGOS ENTRE A ACADEMIA E A ESCOLA

Gláucia Lilian Portela Nunes

Resumo


As reformas no Ensino Fundamental e Médio propostas recentemente pelo MEC às escolas públicas e privadas no Brasil, reacendem o debate sobre a importância de ter uma Base Curricular Nacional e também da necessidade de uma formação continuada para professores que, surpreendidos pelas alterações propostas nessas reformas, encontram dificuldades para fundamentarem e executarem o novo modelo implementado. Tem-se aí um cenário fértil para que seja feita a reavaliação das licenciaturas e o hiato existente entre a formação oferecida nas universidades e o chamado “chão da escola”. Aparentemente posicionados em lugares opostos, professores do ensino superior e professores da educação básica parecem tratar de realidades diferentes, apesar da universidade ser o locus legítimo de formação dos professores no Brasil. O que se aprende é o que se ensina? Como a licenciatura trata esta mobilização do conhecimento?  Ao ser inserido na cultura escolar, como o professor recém-formado opera esta (re)construção dos saberes? Este artigo discute caminhos de compreensão desta relação existente entre o saber aprendido na Licenciatura de História e o saber a ser ensinado no Ensino Fundamental. Como se dá a formação inicial do professor e sua articulação com a prática docente.  O que se pretende é pesquisar as primeiras práticas dos professores de História recém saídos das universidades, para entender as relações entre formação, saberes e práticas docentes quando estes são inserido na cultura escolar.

Palavras-chave: Ensino de História. Formação docente. Cultura escolar.


Texto Completo: PDF